Notícias
Goleiras do Rio Branco tinham acordo em caso de pênaltis e creem em benção divina
Acreano Feminino
06.11.2021 - 13:16 - Acre
Foto: Manoel Façanha

A goleira Brenda começou como titular do Rio Branco-AC na campanha no Campeonato Acreano de Futebol Feminino, mas se machucou logo na primeira rodada e acabou abrindo espaço para que Anielle assumisse a camisa 1 no decorrer da competição até a grande final, na noite dessa quinta-feira (4), contra a Assermurb.

Brenda estava à disposição no banco de reservas e havia um acordo na comissão técnica e entre as atletas de que ela entraria em campo para defender as cobranças de pênaltis, caso o Rio Branco-AC vencesse a partida no tempo normal.

O Estrelão venceu por 2 a 1, mas Brenda não entrou em campo com a bola rolando. Por conta na demora para substituir no fim do segundo tempo, a árbitra Iane Veras encerrou o jogo sem que a alteração fosse concretizada.

Anielle, que teve boa atuação com a nos 90 minutos, demonstrou emoção ao notar que teria que ficar em campo para as cobranças de pênaltis, chegou a chorar na pausa até o início das cobranças, mas recebeu apoio das companheiras de time e foi para a missão.

Na primeira cobrança da Assermurb, não conseguiu defender a batida da zagueira Lore. Mas na segunda, da lateral-direita Rayane, acertou o canto do chute e evitou que a Assermurb abrisse 2 a 0 de vantagem, já que a zagueira Adriely havia desperdiçado a primeira cobrança do Rio Branco-AC.

As cobranças seguiram e na quinta da Assermurb, ao tentar defender o chute de Cassandra, Anielle caiu no gramado sentindo cãibras. Depois de receber atendimento ela não teve condições de continuar em campo.

Como o Rio Branco-AC não tinha feito todas as substituições, a arbitragem autorizou a troca de goleiras e Brenda, que já até tinha tirado as luvas, foi convocada. Entrou e defendeu a sétima cobrança feita pela Assemurb, da meia-atacante Tatinha. Na sequência, Terezinha cobrou pelo Rio Branco-AC e marcou, fechando o placar em 6 a 5 nos pênaltis e garantindo o título para o Alvirrubro.

Após a conquista, a goleira Anielle explicou o motivo de ter se emocionado ao fim do tempo normal e acredita que ela e Brenda foram abençoadas para ajudar o Rio Branco-AC a concretizar o título estadual inédito.

– Primeiro quero agradecer a Deus porque desde o início (do campeonato) era ela (Brenda) que era pra tá pegando. Por uma eventualidade ela se machucou e eu não estava no time e fui inscrita de última hora no segundo jogo. Quando ela se machucou retornei pro time pra ajudar a equipe, mas eu vim por ela porque eu sei o quanto ela queria estar nessa final. Estava tudo combinado de que se a gente ganhasse (no tempo normal), ela pegaria os pênaltis e não deu tempo. Acabou que eu me machuquei e, graças a Deus, Deus honrou. Deus honrou de tal maneira que usou nós duas pra abençoar o time – afirmou.

Já Brenda não tem dúvidas de que o contexto final da decisão por pênaltis foi algo premeditadamente elaborado por Deus para dar um tempero a mais na conquista.

– Na hora que não deu de entrar eu falei: não é pra mim. Não é pra mim, Deus tá no controle de tudo. Desde quando cheguei já coloquei ele. Quando eu vi a Anielle se machucando, eu falei: não sou eu não (risos). Aí quando dei fé já mandaram colocar a luva e eu falei: é a minha história que Deus estava escrevendo e ele escreveu hoje porque quem confia Nele, tudo dá certo – afirmou.

Com a conquista do título estadual, o Rio Branco-AC será o representante do futebol feminino do Acre no Campeonato Brasileiro Feminino A3 de 2022.

Foto: Manoel Façanha
Fonte: Globoesporte.com
 


© Copyright 2004 - 2022 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte