Notícias
Atacante Debu é vítima de racismo em ônibus no Pará
Paysandu
28.10.2020 - 17:47 - Pará
Foto: Arquivo pessoal

O atacante Valdemir Rodrigues da Silva, ou "Debu", 23 anos, campeão do Amapazão 2020 pelo Ypiranga, foi vítima de racismo quando retornava de mais um dia de treino do time Sub-23 do Paysandu, em Belém, no Pará.

Debu, que foi contratado no fim do estadual do Amapá para atuar no bicolor paraense, estava na companhia de outro atleta do time, George do Nascimento, que no futebol adotou o apelido de George Pittbull, tiveram que descer do ônibus onde estavam para serem revistados pela polícia.

Segundo relato dos jogadores, um dos policiais revelou que a abordagem foi motivada pela denúncia anônima de uma mulher que também estaria no transporte coletivo.

Debu até o momento não quis se pronunciar sobre o caso, mas George fez questão de destacar sua indignação.

- É uma sensação de humilhação, que te faz ficar com muita vergonha. As pessoas te olharem diferente, te julgarem pela aparência, pela cor que você é – explicou George.

O Paysandu divulgou nota condenando o corrido e anunciou que está dando todo o suporte psicológico e jurídico do clube para os jogadores, que estão concentrados para a partida desta quinta-feira (29), contra o Juventude, às 15h, no Estádio Homero Soldatelli, em Flores da Cunha, interior do Rio Grande do Sul, pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

Foto: Jorge Luiz/Paysandu


Confira a integra da nota do Paysandu

Até quando a presença de jovens negros em um local público vai incomodar a sociedade?

Nossos atletas George e Debu, do time sub-23, voltavam para casa ontem à noite, (segunda-feira-26) quando o ônibus em que eles estavam recebeu ordem de parada, depois que uma passageira acionou a polícia para denunciar que havia suspeitos ali.

Os jogadores tiveram de descer do coletivo para revista pessoal. Foram minutos de muito constrangimento. Na mochila, nada de armas ou drogas, como devia imaginar a denunciante. Eles carregavam apenas chuteiras e os uniformes banhados de suor, após mais um dia de treino.

George e Debu poderiam ter tido um dia melhor, mas não. Terminou de uma maneira muito desconfortante para dois jovens humildes, negros, que precisaram dar explicações por simplesmente não terem feito nada.

A vocês, George e Debu, toda a nossa solidariedade e dividimos esse sentimento de revolta com ambos.

Eles receberam todo o suporte psicológico e jurídico do clube.

Já chega de racismo! Basta!

Fonte: Globoesporte.com
 


© Copyright 2004 - 2020 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte