Notícias
Ex-goleiro Faísca e família contaminados pelo novo Covid-19
Bastidores
23.05.2020 - 11:01 - Acre

O histórico de atleta profissional do ex-goleiro Faísca, que defendeu clubes como Vasco-AC, Rio Branco-AC, Atlético-AC e Independência, no futebol acreano, não impediu que ele fosse contaminado pelo novo coronavírus em Rio Branco, capital do Acre.

O ex-jogador, atualmente com 42 anos, relatou ao GloboEsporte.com como contraiu a Covid-19, os sintomas que tem sentido desde então. Ele está no décimo dia de tratamento e diz que não ficou internado por não haver leitos disponíveis.

– Eu tive que levar meu filho à UPA numa noite, 11 dias atrás. Primeiro dia (dia seguinte) já me senti ruim. No segundo dia, dor de cabeça e febre. Terceiro dia dor de cabeça, febre, garganta inflamada, tosse seca. Quarto, quinto e sexto dias, os mesmos sintomas, dor no quadril, no peito e nas costas. Oitavo dia todos esses sintomas e já veio falta de ar, bastante tosse seca. Nono e décimo dia de tratamento me sentindo bem melhor. Hoje, décimo dia, após ter sido medicado na UPA e confirmado o vírus, estou me sentindo bem. Não fiquei internado, pois não tinha leitos. Mas me passaram a medicação e fui melhorando aos poucos – contou.

Foto: Duaine Rodrigues


Faísca comentou sobre os dias de isolamento e revelou ainda que a esposa, de 40 anos, e o filho, que tem 20 anos, também estão contaminados. O ex-atleta destaca que está sentindo a volta do ânimo após os dias difíceis enfrentando a doença.

– Você se isola dentro de casa e da família. É um vírus bastante complicado que nesse momento minha família pegou também, minha esposa, meu filho. Estou me recuperando e agora a gente tem que cuidar deles. É um vírus que a gente pega em objeto, sacola, tudo que for possível ele é transmitido. Mas, graças a Deus, estou me recuperando e me sentindo bastante empolgado, depois que a gente vê o ânimo voltando.

Cumprindo o isolamento social em casa, ele explica que tipo de efeitos sentiu no corpo causado pela Covid-19. E acredita que os efeitos em cada pessoa vão variar, dependendo do organismo de cada um.

– Vai do organismo das pessoas, uns mais fracos outros mais fortes. As pessoas que já pegaram a Covid, mas não souberam, sentiram apenas um sintoma ou dois e nada mais. Eu sou sintomático, senti todos os sintomas: dor de cabeça, febre, tosse, dor no peito, dor nas costas, dor nos rins, dor no quadril, olfato ruim sem sentir cheiro, paladar ruim sem sentir gosto, dor nas juntas, dor muscular, falta de ar. Tenho imunidade baixa, então pra mim foi complicado. Ficamos muito debilitados, até nossa voz muda. Tudo fraco – detalhou.

Faísca começou a carreira aos 18 anos, quando foi campeão acreano pelo Juventus (1995 e 1996). Vestiu ainda a camisa do Vasco-AC, conquistando os títulos estaduais de 1999 e 2001, do Alto Acre, Andirá, Independência, Náuas, Plácido de Castro, Rio Branco-AC, Atlético-AC, Adesg e o São Francisco-AC. Ele deixou os gramados ao fim da temporada 2014 defendendo o Cruz-Maltino do Acre e desde então trabalhou como treinador em algumas equipes no estadual.

Fonte: Globoesporte.com
 


© Copyright 2004 - 2020 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte