Notícias
São Raimundo vive pressão contra novo rebaixamento
Amazonense-2018
13.03.2018 - 16:22 - Amazonas

Foram exatos 513 dias de espera, mas enfim o São Raimundo voltou a vencer uma partida na Série A do Campeonato Amazonense. O triunfo por 1 a 0 sobre o Fast, no último domingo (11), no Gilbertão, em Manacapuru, serviu para tirar um pouco da pressão sobre o Tufão da Colina - que já está classificado no mínimo para as quartas de final do returno do Barezão -, porém, o perigo de novo rebaixamento ainda ronda a Colina.

“Tivemos oportunidade de fazer dois, três, até quatro (gols), coisa que a gente não fez. Mas conseguimos o resultado que a gente estava precisando que era a vitória”, pontuou o técnico Marquinhos Piter já mirando o “jogo da vida” do Mundico na temporada diante do Galo.

“Agora o time ganha credibilidade, ganha confiança e a gente já pensa no Rio Negro, no sábado (17), que também é outra batalha, outro jogo difícil porque a gente precisa vencer pra não cair. Estamos classificados, mas a gente precisa vencer pra permanecer na primeira divisão. Estamos conscientes disso e vamos trabalhar pra isso acontecer”, enfatizou Piter.

Torcida fez falta

Atuando longe de casa por conta de uma punição imposta ao Fast Clube, o elenco do São Raimundo não pode contar com o apoio de sua fanática torcida. O que, segundo Marquinhos Piter, fez muita falta ao time.

“Fui atleta do São Raimundo e passei pra eles que essa torcida cobra muito, mas ela apoia muito também. A gente sentiu um pouco a falta dela, mas pra gente sair dessa situação a gente teria de passar por essa dificuldade também”, disse o treinador do Tufão revelando que a equipe jogou com o “coração na ponta da chuteira” para arrancar a primeira vitória no campeonato.

“Sem nossa torcida no estádio, nós jogamos pelas nossas famílias, jogamos pelos torcedores e, principalmente, por esse nome São Raimundo, esse escudo que está do lado esquerdo do peito que é muito grande. Graças a Deus a gente fez um grande jogo e conseguimos nosso objetivo que era a vitória. Agora só depende da gente pra sairmos dessa situação”, pontuou Piter afirmando que trabalhará por etapas com seu plantel para se manter na elite do futebol baré.

“Vamos por etapas, a primeira é o jogo com o Rio Negro. Sabemos da nossa responsabilidade, desde que cheguei aqui sempre disse que o São Raimundo era grande, que tem uma camisa pesada, que a gente tem de trabalhar muito pra manter o time na primeira divisão”, concluiu.

Foto: Fabrício Carvalho/São Raimundo
Fonte: Jornal A Crítica
 
© Copyright 2004 - 2018 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte