Entrevistas
Bancário acreano está no Almanaque do Ferroviário-CE

Neste ano, o Ferroviário (CE), aproveitando o aniversário de 80 anos de glórias e conquistas, lançou o Almanaque do Ferrão, uma peça de 594 páginas, com 3.449 fichas técnicas dos jogos do Ferroviário (desde 1933). O Almanaque, de autoria do jornalista Evandro Ferreira Gomes, traz ainda 1.956 dados dos jogadores profissionais que vestiram a camisa do Ferrão. Entre esses quase dois mil jogadores aparece o acreano Aquiles Barros de Oliveira, o Tinda, hoje funcionário de carreira do Banco do Brasil.

Veja a trajetória de Tinda

Nascido em Rio Branco, Tinda começou a vida futebolística na década de 1980, precisamente na equipe dente de leite do Atlético Acreano, clube de coração do atleta. O primeiro título na sua carreira foi justamente vestindo a camisa azul celeste da equipe principal do Atlético Acreano, na temporada de 1987, quando o Galo Carijó, após quase 19 anos de jejum, ficou com o título do Campeonato Acreano.

Na partida decisiva, o meia Tinda, demonstrando muita personalidade, apesar da então pouco idade, chamou a responsabilidade para si, cobrando a penalidade sofrida pelo atacante Ley, hoje também bancário de carreira do Banco do Brasil e, assim, garantindo o empate diante do Juventus (1 a 1) e colocando um ponto final no jejum de títulos do clube celeste.

Meia de boa visão de jogo, excelente arremate e vigor físico de impressionar os adversários, foi campeão acreano pelos quatro grandes clubes da capital: Atlético Acreano (1987), Rio Branco FC (1992), AC Juventus (1996) e Independência (1998). O meia ainda, antes da aposentadoria (2001), chegou a vestir a camisa do Vasco da Gama (AC).

Sete jogos no Ferroviário (CE)


No segundo semestre de 1992, a convite do centroavante Frank, com passagem pelo Rio Branco FC, Tinda resolveu fazer as malas e aceitar o convite para defender o Ferroviário (CE). A ida do atleta ao clube cearense foi negociada entre a direção do Ferroviário e o então presidente estrelado Sebastião de Melo Alencar.

A estreia do meia acreano ocorreu no clássico contra o Fortaleza, dia 13 de outubro/1991, no estádio Castelão, com 3.012 pagantes. Mesmo com a derrota para Leão cearense, Tinda acabou entre os melhores jogadores do Ferrão naquela partida, assinalando o gol solitário do time do técnico Nilton Albuquerque.

Ao todo, Tinda vestiu a camisa do Ferrão por sete oportunidades, acumulando quatro derrotas, dois empates e uma vitória. No clube o atleta assinalou apenas um gol e, segundo ele, não ficou na agremiação cearense por força de um contrato de trabalho com o Estrelão, equipe pela qual disputou o Campeonato Brasileiro da Série B/1992.

Virou bancário

Com o fim da carreira, Tinda então resolveu se dedicar aos estudos. No ano de 2002, ele foi aprovado no curso do Banco do Brasil, onde hoje desempenha a função de caixa na instituição bancária.

Mesmo aposentado dos gramados oficiais, o ex-craque não esquece da redondinha e, para matar a saudade, ainda participa de competições amadoras, principalmente as organizadas pela Associação Atlética Banco do Brasil.

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte