Entrevistas
Perivaldo recebeu apelido por semelhança com jogador da Seleção

A semelhança física com Perivaldo, que jogou no Bahia e também no Botafogo, e foi convocado para a seleção brasileira em 1981, fez com que o craque amapaense Aristeu Lemos Barbosa ficasse também conhecido por este nome. O apelido foi dado a ele pelo treinador de futebol conhecido como Setenta.

Perivaldo era volante e iniciou sua carreira 1977, no Ypiranga Clube, na época em que o futebol amapaense ainda era amador.

Em 1978 foi para o Guarany, convidado pelo então presidente Moaci Coutinho. Neste time ele foi vice campeão do Amapaense e também participou do Copão da Amazônia.

No mesmo ano foi levado pelo técnico Aluízio Brasil para a Tuna Luso Brasileira (PA). Perivaldo conta que podia escolher se queria ir jogar no Nacional (AM), mas preferiu o time paraense. "O Aluízio Brasil mandou eu escolher entre os dois times, mas eu preferi ir para a Tuna. Então outro jogador foi para o América", lembrou o volante.

Perivaldo declarou que na época do futebol amador no Amapá, os jogadores não tinham carteira assinada, eles apenas assinavam uma promissória. "A gente assinava uma nota promissória. Muitas vezes não recebíamos salário, somente presentes. Certa vez eu pedi um emprego em troca dos meus serviços e estou nesse emprego até hoje. Sou funcionário federal, mas eu estou à disposição da Sedel", disse o jogador.

Problema

Perivaldo lamenta por não ter jogado no Vasco da Gama. Ele já estava com as malas prontas para fazer testes no time carioca. O Craque viajaria na segunda-feira, porém durante uma partida na véspera da viagem, acabou fratuando a perna, o que impossibilitou sua ida. Este episódio aconteceu em meados de 80.

Abalado, ficou quase 4 meses com a perna engessada. Sem poder jogar, voltou para Macapá em 1981, e após se recuperar recebeu o convite do presidente Jarbas Gato para fazer parte do time do Amapá Clube.

Em 1984 foi para o Trem. " O Trem não ganhava um titulo há 19 anos. E em 1984 fui campeão amapaense pela Locomotiva", enfatizou.

No ano seguinte atuei pelo Independente. "Recebia muitas propostas, por essa razão trocava de time quase toda temporada", lembra Perivaldo.

Em 1986 voltou para o Amapá Clube, onde foi campeão Amapaense nos anos de 1986 e 1987, sendo que em 1989 foi vice campeão.

Saiu do Amapá Clube e retornou para o Ypiranga, foi campeão amapaense invicto em 1992.

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte