Colunistas
Olhar para frente
por Francisco Dandão



Apesar de todo o insucesso dos times acreanos nas competições regionais e nacionais neste ano de 2019, quando o Rio Branco e o Galvez foram eliminados na primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro, e quando o Atlético foi rebaixado precocemente da Série C, a vida continua.

E como a vida continua, o Atlético tem nesta quarta-feira (21), no gramado do Florestão, a oportunidade de diminuir o seu calvário e dar alguma alegria à sua torcida. Para que isso aconteça, basta vencer o amapaense Ypiranga, no jogo de volta das oitavas de final da Copa Verde.

No jogo de ida, terça-feira da semana passada, lá no meio do mundo, onde se localiza o Estádio Zerão, na bela e aprazível Macapá, o Atlético não tomou conhecimento do adversário. Fez clássicos dois gols a zero e bem que poderia ter feito mais. Foi uma vitória tranquila, sem maiores sustos.

Naturalmente, sendo uma decisão de 180 minutos, não se pode dizer que a fatura esteja liquidada. Esse Ypiranga, que agora se encontra mais pra lá do que pra cá, eliminou o amazonense Fast na primeira fase dessa mesma Copa Verde. E pode sim se portar de forma diferente no jogo da volta.

Particularmente, eu não acredito em reviravolta. A possibilidade de o Ypiranga ser feliz existe sim, mas só pelo fato de o futebol ser um esporte profundamente ligado à questão do imponderável. Um esporte onde não existe vitória de véspera. Mas pela mais absoluta lógica, deve dar Atlético.

Passar pelo Ypiranga, aliás, dá mais algumas semanas de atividade para os jogadores do Atlético. Já que o último jogo pela Série C acontecerá no próximo domingo, restará ao Galo acreano tentar ser protagonista na Copa Verde. O sucesso nessa competição deixaria o céu do Galo menos escuro.

Fora isso, encerrada a temporada, chegará a hora dos dirigentes atleticanos sentarem numa mesa para analisarem tudo o que deu errado em 2019 e traçarem os rumos do clube para o ano que vem. Se já sabem o que deu errado, ótimo, fica muito mais fácil projetar as ações vindouras.

Esse planejamento é uma providência que se faz mais do que urgente. Afinal de contas, o tempo jamais para e o futuro chega a todo instante. A gente pisca os olhos e já é depois de amanhã. Não custa lembrar que logo nos primeiros anos de 2020 o time encara uma importante Copa do Brasil.

Usei “Olhar para frente” como título dessa crônica, mas devo esclarecer que a expressão diz respeito apenas ao fato de que o leite derramado não pode ser recolhido da poeira. Para se planejar bem o futuro, porém, é preciso utilizar dois olhares: um para frente e outro para trás!

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte