Colunistas
Atlético Acreano pode sim passar à Série B
por Augusto Diniz



Observando o desempenho do Atlético-AC e do Cuiabá na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C, nota-se que o fator casa foi preponderante para que ambos times passassem às quartas de final da competição.

O Atlético-AC, no grupo A, obteve 30 pontos na classificação geral, ficando em segundo lugar na sua chave. Já o Cuiabá, no outro grupo, o B, alcançou 32 pontos e fechou a fase em terceiro na classificação geral.

Indiscutivelmente o grupo do Galo foi mais difícil, pois contava com o Remo, Náutico e Santa Cruz, clubes que sabidamente lutariam por vaga às quartas impulsionados pelas suas torcidas associados à condição estrutural mais robusta que a média dos times adversários – no fim, os dois clubes pernambucanos acabaram indo para a outra fase da competição.

Das dez vitórias conquistadas pelo Cuiabá na primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C, sete foram em casa. As três vitórias longe de seu campo ocorreram contra o Tupi e Joinville – penúltimo e último colocados respectivamente no grupo e rebaixados à Série D – e o Luverdense – na verdade, vitória no clássico local realizado em Lucas do Rio Verde; cita-se que o Luverdense não se classificou à segunda fase da competição.

Já o Atlético-AC, das nove partidas em que conquistou três pontos, apenas duas ocorreram longe de casa: uma contra o Salgueiro (rebaixado à Série D) e outra contra o ABC, no último jogo da fase de grupos (aliás, o time do Rio Grande do Norte ficou a uma colocação de não cair de série na competição).

Isso indica que tanto o Atlético-AC como o Cuiabá fizeram o dever de casa para chegar onde chegaram: vencer principalmente em seus estádios para somar pontos. As vitórias fora de casa não ocorreram contra clubes competitivos.

Os dois times somaram ainda seis derrotas cada um na primeira fase, o que revela grande dependência, dentro do total de 18 jogos, dos resultados favoráveis obtidos em casa.

Nesse quadro geral, a aposta de que o Atlético-AC pode reverter a situação negativa com a derrota na primeira partida por 2 a 0 contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, nas quartas, é algo não muito distante do que ambos têm feito na competição até agora – mesmo com a necessidade de o Galo fazer dois gols de diferença para levar a partida para as penalidades.

Na verdade, o que torcemos é que o Galo acreano faça os três gols que precisa, sem tomar nenhum, para comemorar o resultado que pode mudar o futebol acreano de patamar. Como atuará em seu território, talvez consiga fazer o dever de casa e passar o time para a Série B do Campeonato Brasileiro.

 
© Copyright 2004 - 2018 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte